quinta-feira, 9 de abril de 2009

A Última Batalha


Último livro da coleção As Crônicas de Nárnia.

Esse livro retrata literalmente a Última Batalha de Nárnia. Não há como falar da história a essa altura sem entregar tudo.

As coisas agora acontecem bem mais depressa ... as aventuras são bem mais emocionantes ... porém tudo se desenrola num final relativamente - com o perdão da palavra - besta!!!

Se alguém lia e tentava se enganar que não havia nada de muito religioso nos livros, nessa história é impossível negar isso!!!

Só falta o Aslam falar "Eu sou Deus!!!" ... de resto o livro já tem!!!

O que acho engraçado foi que bastou sair uma nota mencionando a catequese do livro que algumas religiões no Brasil começaram a incentivar seus fiéis a ler a coleção.

E após ler todos os livros eu tenho certeza que os representantes dessas religiões sequer leram o resumo dos livros. Ao menos aqueles que eu conheço jamais admitiriam a representação de Deus com a imagem de um animal, mesmo sendo ele um Leão.

Se tivessem lido o livro com certeza condenariam um trecho em que Aslam diz a um soldado que tudo de bom que ele fez em nome de "outro Deus" ele fazia em "nome de Aslam".

Sei que pode soar meio preconceituoso ... mas a maioria esmagadora das religiões não aceitam as demais como válidas, acreditam que somente a sua própria seja a verdadeira. Em outras palavras ... eles jamais aceitariam que qualquer atitude boa realizada em nome de outra religião poderia ser considerada "pelo Deus deles" como uma atitude correta.

Infelizmente o ser humano ainda tem muito o que evoluir.

RECOMENDO!!!

Títulos da Coleção:
As Crônicas de Nárnia: O Sobrinho do Mago
As Crônicas de Nárnia: O Leão, a Feiticeira e o Guarda Roupas
As Crônicas de Nárnia: O Cavalo e seu Menino
As Crônicas de Nárnia: Príncipe Caspian
As Crônicas de Nárnia: A Viagem do Peregrino da Alvorada
As Crônicas de Nárnia: A Cadeira de Prata
As Crônicas de Nárnia: A Última Batalha


!!!UPDATE!!!

Uma das coisas que gosto nesse espaço, é poder conhecer as opiniões e interpretações de outros leitores. E esse update é justamente para destacar um comentário que recebi nesse post.

"na verdade ele o perdoa porque no final ele se arrepende"

Repetindo o que comentei na resposta, como o livro não diz 'eu te perdoo porque você se arrependeu', eu li e interpretei somente o que estava escrito e ainda não acho que 'interpretei errado'. Porém, diante desse comentário, analisei melhor e tenho de admitir que é uma interpretação muito plausível! Concordo que a frase de Aslam pode sim ser interpretada como um ato de perdoar aquele que se arrependeu de seus erros.
E acrescento que, com essa interpretação, meu penúltimo parágrafo torna-se inválido!

Há muito tempo moderei os comentários unicamente para ter certeza de que leria todos e não deixaria ninguém sem uma resposta.
Comentários como os desse post eu aprovo com gosto!
É muito bom ver que existem pessoas que optam por esclarecer os demais, ao invés de partir para agressão verbal!
Comentários como esses, serão sempre muito bem vindos!

7 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Levi!

    Primeiramente obrigada por sua participação aqui no meu humilde blog.

    Segundamente (hehehe) acho que você interpretou errado o propósito deste Blog.

    O meu objetivo aqui é simplesmente passar as minhas impressões sobre o que leio, até porque como não fui eu quem escrevi os livros é impossível afirmar alguma 'verdade' sobre o conteúdo dos mesmos né? ;)

    E, nas minhas impressões, só falta sim ele dizer "Eu sou Deus" o resto está subentendido. Ainda mais considerando o livro "O Sobrinho do Mago" em que mostra Aslam criando Nárnia ... e como na Bíblia quem cria a Terra é Deus e não Jesus a minha associação direta foi essa ao invés da sua associação com o Filho de Deus!

    Não é por nada não, mas repito que esse blog contém apenas resenhas, ou seja, minhas ipressões pessoais sobre o que leio. E como vai de quem lê não posso exigir que você interprete o mesmo que eu, assim como você não pode exigir que eu interprete o mesmo que você né?

    Um pouquinho de bom senso antes de acusar as pessoas de 'não conhecerem nada' cairia bem! ;)

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Meu nome é sônia e ainda não li todos os livros da coleção.
    Achei seu comentário bobo e preconceituoso. Ainda não li na história a frase de Aslam que você citou, mas eu a compreendo como: Não há outro Deus. Somente o Deus da bondade, pelo qual tudo o que é bom é inspirado, mesmo que haja inúmeros nomes e histórias. Se é Deus, se te leva a fazer o bem, é o Deus único e verdadeiro.
    Eu concordo com o comentário que coloca Aslam como Jesus. Em O Leão, A Feiticeira e o Guarda Roupa é essa sua imagem. Acredito que o mesmo personagem representa as duas figuras fazendo referência à Trindade Santa.
    Vou ler o restante dos livros e te conto o que achei... rs
    Mas acho as histórias, embora um pouco pueris, muito delicadas, poéticas e belas. Eu também recomendo a série como uma boa leitura.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Oi, Sônia!

    Obrigada pelo seu coment, de coração!

    Como eu disse no meu último parágrafo, eu sabia que ia soar preconceituoso.

    Inclusive gostaria de destacar um trecho seu:
    "... eu a compreendo como: Não há outro Deus. Somente o Deus da bondade, pelo qual tudo o que é bom é inspirado, mesmo que haja inúmeros nomes e histórias. Se é Deus, se te leva a fazer o bem, é o Deus único e verdadeiro."

    Eu concordo em 100% com você!!! Não tenho + nada a acrescentar, sua definição foi perfeita!!!

    Acho que devo ter me expressado mal, mas não é o livro que eu "critico", e sim algumas pessoas que eu conheço.

    O caso é que vejo várias pessoas tentando colocar outras "no caminho de Deus" sem se importarem se elas possuem ou não uma religião, quando não ousam afirmar que sua própria religião é que o "caminho certo" e as demais são "erradas".

    E são essas mesmas pessoas que ficam por aí a torto e a direito afirmando que As Crônicas de Nárnia são uma excelente leitura só porque seus 'líderes religiosos' afirmam isso.

    Agora me diz: você acha mesmo que as pessoas que afirmam que a sua religião é a 'verdadeira' e as outras estão 'erradas' aceitariam que, independente se a pessoa fez por Deus ou Jeová ou só porque achou correto, se foi um ato de bondade ela estava 'no caminho certo'?

    O caso é que infelizmente todos os que conheço jamais aceitariam isso, e é infelizmente mesmo, pois eu gostaria muito que todos pensassem como você. O mundo seria um lugar muito melhor!

    Mas realmente embora entenda a opinião de vocês ao associar Aslam com Jesus, eu não consigo apagar a associação com Deus. E admito que o ponto principal que gera essa associação é a criação de Nárnia.

    ResponderExcluir
  5. A quem mais possa ler esse post.

    Solicito por favor ler com um pouco de atenção!

    Eu falhei ao fugir da análise do livro e inserir uma opinião pessoal, admito e pretendo fazer um update no post deixando isso claro!

    Mas se alguém se interessar em ler os comentáios gostaria de deixar claro que o "erro" que eu aponto não é do livro, ao contrário, embora eu esperasse um final mais emocionante eu adorei toda a série.

    O 'erro' que eu reclamo é de algumas pessoas que, ao invés de enxergarem as coisas como Aslam, acham que se você não faz "em nome do Deus deles", independente se você você ajudou uma velhinha a atravessar a rua ou descobriu a cura pro câncer, você não está 'correto' e não merece 'o reino dos céus' como ele que não faz nada além de comparecer às cerimônias de sua religião.

    ResponderExcluir
  6. minha amiga você interpretou errado...na verdade ele perdoa ele não é que ele aceite o fato dele servir outro Deus na verdade ele o perdoa porque no final ele se arrepende...e sim você discriminou o ponto de vista religioso...na verdade o autor escreveu com o objetivo religioso já que ele era ateu e se converteu ao cristianismo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Príncipe do Senhor!

      Primeiramente, obrigada pelo comentário.

      Vamos lá ... repetindo ... o que posto aqui são impressões pessoais. Não são 'verdades'!

      Não discriminei o ponto de vista religioso, eu reclamei (abertamente) de algumas pessoas que conheço que acham que todos os que não 'seguem a sua religião' estão errados. Não acho essa atitude correta e é uma opinião minha! Não tenho problema nenhum em mudar de opinião, desde que me apresentem argumentos válidos e 'a minha crença é a verdade' não é argumento válido ... se fosse, eu viveria mudando para a religião de cada um que me dissesse isso.

      Não diria que a minha interpretação está errada, pois não está escrito "eu te perdoo porque você se arrependeu" o que está escrito no livro é "que tudo de bom que ele fez em nome de "outro Deus" ele fez em "nome de Aslam"".
      Porém não posso negar que sua interpretação também é uma interpretação muito válida... afinal reconheço que ele pode sim estar perdoando-o sem precisar dizer 'eu te perdoo'.

      Gostaria de agradecer novamente pelo seu comentário. Admito que essa interpretação anula minha 'dedução' no penúltimo parágrafo.
      Inclusive farei um update no post acrescentando essa visão.

      Excluir